Sobre a APFIT

Realizou-se no dia 01 de agosto de 2012, assembleia de fundação da APFIT – Associação Paulista de Fitoterapia, ocorrida em São Paulo.

Trata-se da concretização de desejo antigo de estruturação de uma entidade civil regional, multiprofissional, voltada ao estímulo da fitoterapia clássica, tradicional e científica, em processo de amplo desenvolvimento em todo o mundo e também no Brasil, mas ainda carente de implantação de uma série de questões que certamente serão objeto de trabalho da Apfit.

A diretoria ficou composta da seguinte forma:

  • Presidente Executivo: Dr. Luis Carlos Marques (farmacêutico e professor universitário)
  • Vice-presidente: Dra. Vanderli Marchiori (nutricionista)
  • Tesoureiro: Dr. Dagoberto de Castro Brandão (médico e advogado)
  • Vice-tesoureiro: Dr. Carlos Martes (biólogo e empresário)
  • Secretária: Dra. Marta da Cunha Pereira (nutricionista)

Desse modo, a entidade nasceu com o característico perfil multiprofissional, fundamental para expressar o conjunto complexo de visões e experiências presente na área, e incluiu também um profissional que atua como empresário do ramo de distribuição de drogas vegetais, que certamente trará visões complementares às dos profissionais liberais e acadêmicos.

Segundo o presidente eleito Luis Marques, que é também professor do Mestrado Profissional em Farmácia da Unian, “a fitoterapia brasileira tem evoluído expressivamente nas últimas décadas no Brasil, fruto de esforços e pressões de diversos setores sociais. É hora agora de aprofundar suas raízes na sociedade brasileira, quebrar de vez os preconceitos e estabelecer de modo amplo o aproveitamento das imensas possibilidades terapêuticas, econômicas e sociais que a biodiversidade brasileira oferece a todos os brasileiros”.

Dagoberto Brandão, médico dedicado há muitos anos à pesquisa e desenvolvimento de fitoterápicos, coinventor do fitoterápico anti-inflamatório tópico a base da erva baleeira (Cordia verbenacea) ressalta que “é crucial para o bem-estar da população paulistana que o acesso gratuito às drogas vegetais e fitoterápicos industrializados seja dado pelo poder público do município de São Paulo. A APFIT ora criada estará à disposição das autoridades municipais da Saúde para colaborar no que lhe for pertinente“.

Dentre as metas da entidade, destaca-se a realização de cursos e treinamentos para profissionais das diversas áreas envolvidas com a fitoterapia, de modo a melhorar seu conhecimento e desempenho nesta importante área terapêutica. Atividades complementares serão realizadas, como participação em comissões de elaboração e revisão de normas e regulamentos, apoio a entidades governamentais na implantação e estruturação dos serviços de fitoterapia e ampla colaboração com entidades afins, empresas, governo visando desenvolver o conhecimento e mesmo gerar produtos de interesse ao país.

A entidade buscará, desde logo, estreitar os laços e parcerias com a entidade brasileira da área, a Associação Brasileira de Fitoterapia – Abfit, criada há 18 anos e que tem capitaneado no país os conceitos de fitoterapia multidisciplinar e ampla, envolvendo tanto o conhecimento científico somado com a imensa tradição de uso, acumulada ao longo dos séculos em todo o mundo.

Conheça o nosso Estatuto!